O MELHOR ANO DA MINHA VIDA (até agora) – Parte 2

Por 1 março, 2018 0 Permalink

O Melhor Ano da Minha Vida – Parte 2

Se os anos fossem medidos exclusivamente pelos vinhos degustados, eu poderia dizer que 2017 foi meu melhor ano (até o momento).

Continuando a série dos vinhos que tomei em 2017, eis aí a segunda parte dos post “O Melhor Ano da Minha Vida (até agora)”

 

PEQUENAS DIFERENÇAS FAZEM GRANDE DIFERENÇA

O Château Léoville-Las Cases e o Château Saint Pierre são estrelas da denominação Saint-Julien, o primeiro já consolidado ocupando a posição de Deuxieme Cru na classificação oficial de Bordeaux (1855) e o segundo como Quatrième Cru, porém em ascensão no gosto do público e da crítica.

Ínfimos 2 km separam estes produtores e apenas uma safra de distância entre os vinhos degustados (2008 e 2009). Apesar da similitude de terroir, pequenas variações fazem uma enorme diferença no resultado final.

 

Saint Pierre 2009

(RP 98 – WE 92 – JR 17,5)

Com 17 hectares o Château Saint Pierre é o menor grand cru classe da menor comunidade do Medoc. Desde o século XVII o domínio trocou de mãos várias vezes, até que em 1982 seu novo proprietário iniciou um grande processo de modernização.

Ano após ano o Château Saint Pierre veio aprimorando seu vinho, mas por muito tempo permaneceu abaixo do radar. Em 2009 o crítico americano Robert Parker alçou a propriedade ao estrelato ao lhe conceder 98 pontos e elogios superlativos como monumental, espetacular e exuberante. Outros críticos seguiram a opinião de Parker e o mundo passou a ter olhos para este Château.

Com produção limitada devido ao seu tamanho e sem tanta fama como seus concorrentes o Saint Pierre costuma ser rotulado como um cult wine: joias para poucos que conhecem e têm acesso.

 

Vermelho escuro e opaco. No nariz frutas negras, especiarias e leve apimentado. Charutos. Na boca é intenso. Um vinho moderno com grande musculatura. Chocolate, café, grafite, cedro e sabores terrosos (louro e folha de tabaco). A fruta é doce, quase em geleia. Taninos muito suaves e grande acidez.

Final longuíssimo. Apesar de jovem está pronto. No ponto para mostrar toda a sua fruta.

 

Grand Vin de Léoville du Marquis de Las Cases 2008

(WE95 – WS94 – RP96 – JR 17)

 

Léoville-Las Cases é uma das maiores e mais antigas propriedades do Medoc. Foi dividida após a revolução francesa e hoje está nas mãos da família Delon desde o século XIX.

2008 foi um ano difícil, bastante chuva e um longo ciclo de amadurecimento das uvas. Mas os produtores que souberam esperar para fazer a colheita foram recompensados com boa qualidade.

Depois de quase 10 anos este vinho ainda precisa de mais tempo para evoluir. Todos os elementos estão aqui, mas assim como os produtores, os consumidores que tiverem paciência serão correspondidos.

 

Ameixa, charutos e especiarias no nariz.

A boca confirma e adiciona frutas ainda não maduras, café. Muito concentrado, de grande estrutura e volume de boca. Acidez alta e ótimo final. Evoluirá lindamente nos próximos anos.

Sem comentarios

Deixe uma resposta